domingo, 15 de julho de 2007

MOONDOG, O VIKING DA SEXTA AVENIDA


Moondog, de seu nome real Louis Thomas Hardin, nasceu em Marysville, Kansas, no dia 26 de Maio de 1916 e mudou-se cedo, com a família para Fort Bridger, Wyoming, onde viveu numa cabana de troncos de madeira como as dos pioneiros, pescou e caçou, ia à escola de cavalo e contactava com tribos nativas, recordando frequentemente o episódio em que, ainda criança, se sentou ao colo do chefe Yellow Calf e este o deixou tocar no taumtaum de pele de búfalo (experiência que acabaria por marcar a sua música mais tarde, tão frequentes que se tornariam as referências a ritmos nativos nas suas composições).

Depois de cegar, aos 16 anos, estudou música numa escola para cegos, mas a grande parte da sua formação teórica fê-la ele mesmo, lendo em Braille sobre história da música e teoria musical. Começou a escrever peças, compondo em Braille.

Em 1943 mudou-se para Nova Iorque onde contactou com nomes como Bernstein ou Toscanini, mais tarde com Charlie Parker e Benny Goodman. Exposto a novos horizontes, mas herdeiro de uma vivência invulgar, Moondog projectou a sua música num sentido visionário, trabalhando temas modais expandidos por técnicas de contraponto sofisticadas, antecipando formas mais tarde atribuídas ao pós-modernismo. Philip Glass e Steve Reich, mais tarde, apontaram em si a génese do minimalismo. De finais de 50 em diante a sua obra cresceu versátil, viva, surpreendente, plena de um sentido transversal a diversas visões e sensibilidades da América, das expressões eruditas contemporâneas ao jazz, da exploração da canção à velha admiração pela música nativa.

Com longas barbas e vestido à navegador viking, escudo e lança incluídos, segundo ele para se distinguir da “cristandade”, o seu aspecto físico teve correspondência na música que fez. Inventor e construtor de instrumentos, experimentador de soluções inéditas (foi dos primeiros a utilizar os sons ambiente como matéria musical, muito antes de se falar em “field recordings” ou em ecologia sonora), a perda da visão não o impediu de ser um visionário, antes pelo contrário, contribuiu até para que surgisse com uma voz única. A esquina da rua 54 com a Sexta Avenida, em Manhattan, era o seu paradeiro mais regular. Tanto que acabou designada como a "Moondog’s Corner". Apesar de reconhecido nos meios musicais, só depois de velho conheceu a atenção merecida, com actividade editorial e de palco mais intensa nos anos 70 a 90. Moondog morreu na Alemanha em 8 de Setembro de 1999. Tinha 83 anos.

Discografia
(Data: Título - Editora)

1949-1950: Snaketimes Rhythm - SMC
1949-1950: Moondog's Symphony - SMC
1949-1950: Organ Rounds - SMC
1949-1950: Obe Rounds - SMC
1953: Improvisations At A Jazz Concert - Brunswick
1953: Moondog And His Friends - Epic
1953: Moondog On The Streets Of New York - Decca/Mars
c. 1953: Surf Session - SMC
1954: New York 19 - Folkways
1955: Moondog And His Honking Geese - Moondog Records
1955: Jazztime USA - Brunswick
1956: Moondog/Caribea - Prestige
1956: Caribea - Moondog Records
1956: More Moondog - Prestige
1957: The Story Of Moondog - Prestige
1957: Tell It Again - Angel/Capital
1959: Moondog Suite - MGM
1969: Moondog - Columbia
1970: Fill Your Head With Rock - CBS
1970: Stamping Ground - CBS
1971: Moondog 11 - Columbia
1977: Moondog In Europe - Kopf
1978: Moondog - Selected Works - Musical Heritage Society
1978: H'Art Songs - Kopf
1978: Canons On The Keys - Unreleased
1979: A New Sound Of An Old Instrument - Kopf
1981: Facets - MC Managarm
1986: Bracelli - Kakaphone
1992: Elpmas - Kopf
1992: Moondog – Compilation - Columbia
1994: Sax Pax For A Sax - Kopf
1995: Big Band - Trimba
1995: Alphorn Of Plenty - Hat Art
1996: To A Grain Of Rice - Paradise Records
1997: Early Music - Nonesuch
1998: Trees Against The Sky - SHI-RA-Nui 360°
1998: The Big Lebowski - Mercury
2000: FSUK Vol. 3 - Unkown
2000: Moondog Vol. 1 & 2 - Beat Goes On
2000: Miniatures 2 - Cherry Red
2000: Noodle Shop Moon Dog Girl - Sparkling Beatnik

1 comentário:

Anónimo disse...

necessario verificar:)