segunda-feira, 10 de agosto de 2009

ONCE UPON A TIME IN THE WEST (SERGIO LEONE, 1968)

Quando Jill McBain chega à remota quinta de Sweetwater, vinda de Nova Orleães e de um passado enterrado, para conhecer o seu marido, com quem casara por correspondência, encontra os quatro membros da sua nova família mortos a tiro, nesse mesmo dia. O assassínio colectivo tinha sido cometido por um grupo de pistoleiros liderados por Frank, a soldo de um administrador da companhia dos caminhos-de-ferro, cujos interesses colidiam com os da família McBain. A jovem viúva está, porém, disposta a resistir a tudo para manter o seu rancho, agora particularmente valioso para os caminhos-de-ferro. E se sozinha jamais conseguiria sobreviver, com a ajuda de dois aventureiros das pradarias, Cheyenne e Harmonica, vai tornar-se numa mulher rica.

Western barroco e grandioso, realizado por um italiano, Once Upon a Time in the West (Aconteceu no Oeste, na versão portuguesa) ao contrário da cristalização dos estereótipos e dos lugares comuns de um género de que foi acusado, é uma admirável reconversão dos modelos hollywoodescos, fundidos com uma certa veracidade histórica ao serviço de um cinema romântico e espectacular, simultaneamente sardónico e evocativo.

Sergio Leone passou, com este filme, a gozar de um estatuto de verdadeiro autor cinematográfico que Once Upon a Time in America, dezasseis anos depois, confirmaria para além de qualquer dúvida.

1 comentário:

história e arte disse...

Viva!!

já aprendi uma serie de coisas no seu blog... agradeço, e gostei muito!!

vim cá à procura de Isidore Isou... encontrei!! :) e depois perdi-me nas outras informações (novas p mim) vou voltar, que de uma vez só não dá para ver tudo

cumprimentos

emilia nogueiro